fbpx

Rock In Rio: Relatos

Written by on 25/10/2022

  Já faz mais de um mês desde a última edição do Rock In Rio (inclusive essa matéria chega um pouco depois do previsto) mas os sentimentos de muita gente que viveu esse festival, seja no palco, nos bastidores ou na pista, provavelmente ainda vibram.
  Não podemos negar que estar na lista de atrações, integrar a equipe do festival ou ver de perto seus artistas preferidos junto com aquela multidão pode recompensar todo o esforço necessário e possivelmente ser uma realização pessoal.

  Convidei algumas pessoas que estiveram em lugares diferentes do RiR para contar o que sentiram e dizer um pouco o significado disso tudo.
Representando os artistas, chamei a DJ Ella De Vuono, que se apresentou no palco New Dance Order, do Gustavo “Ugh!” Serrano, que é ilustrador do festival, e do Lucas Rodrigues, que viajou aqui do norte gaúcho para assistir 2 de seus artistas preferidos.
 Confere aí!



Entrevista com Ella De Vuono

  JoEy (Ghost Rádios) – O que esta mais recente edição do RiR representou em sua jornada? Quais foram suas experiências?

Ella De Vuono – “Representou que é possível chegar onde quero sem precisar desviar do que acredito e me orgulho. Estamos sempre ouvindo formulinhas de que “se você não fizer isso, não vai ter sucesso” ou “se tocar tal som, ninguém vai se interessar”. E no fim, a real é que quando o trabalho é bem feito e genuíno, um dia será notado. Com certeza foi isso que tocar no RiR representou para mim e com certeza também foi um momento de virada em minha carreira em vários sentidos, até para minha família eu passei a ser enxergada de forma diferente. Ter um RiR no currículo pesa muito, não tem muito o que dizer, é o RiR, né?
 A experiência de tocar em um festival dessa magnitude foi impecável. Sei que existem muitos festivais gigantescos que não são tão profissionais e que existe todo um perrengue, não é tamanho que mede competência. Mas no caso do RiR, eu fiquei impressionada. Principalmente pelo fato de ser uma artista “pequena”, ou seja, com uma popularidade ainda super baixa se comparada a outros artistas que tocaram no palco de eletrônica (New Dance Order) e mesmo assim fui tratada de igual para igual.
 As experiências lá dentro foram inúmeras, toda a estrutura e competência do staff que, como disse, foi impecável, eu mesma ter trabalhado com uma equipe minha de 9 pessoas, nunca tive uma equipe deste tamanho e ter toda minha família ali presente ou assistindo pelo Canal Bis. Acho que essas são as principais que dá pra citar.”


JoEy (Ghost Rádios) – E é claro, qual ou quais artista(s) preferidos que você acompanhou?

 Ella De Vuono – “Minha artista preferida da vida e que tocou no RiR no mesmo dia que eu foi a Macy Gray, porém foi impossível assistir o show dela. E lá dentro do RiR eu só consegui ver o show da Dua Lipa que, apesar de admirar, eu não sou muito ligada no trabalho dela.
 É tudo muito rápido, não fiz 1/3 das coisas que eu queria fazer, é muita coisa rolando junto.”


Entrevista com “Ugh!”

 

  JoEy (Ghost Rádios) – O que esta mais recente edição do RiR representou em sua jornada? Quais foram suas experiências?

 Gustavo “Ugh!” Serrano – “Para mim, a realização desta edição do RiR foi uma celebração de mais de dois anos trabalhando diariamente na realização do festival.
 Foi um momento inesquecível ver e vivenciar tudo aquilo que nossa equipe, os Rockreators, construímos juntos ao longo desse tempo. Foram incontáveis dias trabalhando diariamente como equipe, desenvolvendo os mais diversos materiais: conceitos de palcos e atrações, materiais gráficos, produtos, mídias de comunicação e interação para o público.
 Ver todo este esforço somado nestes dias de festival é uma realização pessoal e profissional que levarei comigo para o resto da vida.”

  JoEy (Ghost Rádios) – E é claro, qual ou quais artista(s) preferidos que você acompanhou?

Gustavo “Ugh!” Serrano – “Das atrações que tive a oportunidade de assistir, a melhor experiência foi certamente o show do Green Day, um espetáculo incrível do início ao fim!”


Entrevista com Lucas Rodrigues

 

  JoEy (Ghost Rádios) – O que esta mais recente edição do RiR representou em sua jornada? Quais foram suas experiências?

 Lucas Rodrigues – “Foi uma experiência fantástica pra mim, principalmente porque foi meu primeiro festival. A energia do evento é fenomenal. Claro, nem tudo foi 100%; passei por muito cansaço e desconforto, mas definitivamente faria tudo novamente.
 Poder ver de perto artistas que embalam meu dia-a-dia há anos foi simplesmente maravilhoso, e eu não trocaria essa experiência por nada.”

  JoEy (Ghost Rádios) – E é claro, qual ou quais artista(s) preferidos que você acompanhou?

 Lucas Rodrigues – “Green Day e Avril Lavigne”


Produzido por
Jonata R. de Azevedo – Joey no Instagram


Você na Ghost

Deixe um comentário

O seu email não será divulgado.Campos obrigatórios*



Current track

Title

Artist

Background